right_side

Quem sou eu

Minha foto
Às vezes sou o que invento Às vezes sou o que não quero ser Às vezes sou poeira que aparece com o tempo Às vezes sou a pedra onde topas sem querer Ainda estou somente só Ainda ando com meus passos inseguros Ainda me encolho quando sinto dor Ainda choro quando tenho medo do escuro Sou uma bailarina que não dança nem nada Sou uma menina que ainda não cresceu Sou quem passa muitas noites acordada Sou quem acorda quando o sol já se perdeu

Por outros lugares.

MSN: a_bailarin_a@hotmail.com

ORKUT: A Bailarina


TWITTER:
@nessie_dantas

Recomendo

Seguidores

sexta-feira, março 19, 2010

Notas de uma observadora:


É uma inquietude

Um querer fazer

É uma vontade

É o não saber


São traços que se formam na mente

Mas não visitam o papel

São linhas que continuam incompletas

Folhas que não têm rastros de pincel


As palavras que se atrapalham

Que se demoram nas pausas da dança

E o meu pensar desordenado

Que muito tenta, e logo cansa


A espera

As muitas tentativas

Os textos que não se completam

A rima inconclusiva


É uma eterna inquietude...

É uma grande vontade...

É um final que não termina...

É um fragmento sem vaidade.


"Assim são os insetos interiores"


14 comentários:

  1. Estou sentindo a melodia chegar. Quando ela chegar cê mostra?

    Coisa boa. Coisa linda.
    Sem mais para o momento.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. ai, há muito tempo que não passo aqui. E voltei em boa hora. Atooooron poesias assim, eu faço umas desse tipo, mas, assim... num publico. Afinal, 'Enlouqueça e Apareça' não combina nada com 'você foi embora, me deixou' e tananã, tananã. Coitada de mim.

    Beeijo!

    ResponderExcluir
  3. É muito bom ver os seus sussuros escritos com palavras tão bem dispostas e escolhidas,
    às vezes eu fico pensando como seria se você não me deixasse com toda essa ânsia de lê-la, se sempre, todos os dias me fizesse saciada com palavras, versos ou canções novas... Eu gosto disso que você me faz sentir, esse desespero por te ouvir, por poder ler você de novo e de forma nova.
    Você me encanta a cada encontro pautado a cada palavra riscada.
    Admiro tua forma de escrita e também fico maravilhada como a forma que se desenha dentro das suas próprias linhas.
    Obrigada Bailarina, por dançar em linhas diante dos meus olhos.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Eu nunca encontrei uma bailarina tão linda e dócil como a ti!

    ResponderExcluir
  5. Essa eterna inquietude é o que me faz nunca ter vontade de terminar de começar. Mesmo sem saber - sem ter a mínima ideia - do que virá.

    Coisa boa o seu ritmo. Adorei!

    Beijoca pra você

    ResponderExcluir
  6. Maravilhosa ! Descreve uma coisa que todo artista de verdade já passou. Continua assim Van :D

    beeijo

    ResponderExcluir
  7. Maravilhoso e belo!
    Já estava com saudades de visitar este recinto...

    ResponderExcluir
  8. Nossa.. perfeito.. encontrar seu blog foi uma das melhores coisas que me aconteceram essa noite.. ( e olha que coisas boa pra mim, são raras)

    ResponderExcluir
  9. massa...simples mais massa gostei =D
    bjss
    ... ^^

    ResponderExcluir
  10. Quando nada se completa é uma busca sem fim .

    ResponderExcluir
  11. "[...] As palavras que se atrapalham

    Que se demoram nas pausas da dança

    E o meu pensar desordenado

    Que muito tenta, e logo cansa[...] "

    O que é isso? Muito bom...se o teu pensar desordenado, traz nas palavras tanta emoção, não os ordene mas os liberte...

    ResponderExcluir
  12. adorei essa letra ! descreve bem o que eu sinto as vezes, e o que eu acho qque todo mundo sente mais cedo ou mais tarde. Você só conseguiu traduzir isso, de uma maneira linda !
    amei :D

    beeiijo

    ResponderExcluir